segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Fora de Órbita 06: O Episódio Desgraçadamente Desastroso

Depois de pegar uma nave emprestada com um amigo para fugir de uma complicação com clones, eles passaram na Terra pra comandar um bate-papo numa convenção de quadrinhos. Agora, nossos amigos sofreram um “pequeno” revés indo parar num promontório ermo de uma galáxia muito, mas muito distante, longe mesmo pra caramba.

Acompanhe agora mais um bate-papo Fora de Órbita com Fernando Lima e JJ Marreiro.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Direito Autoral, Um direito seu!














A Lei do Direito Autoral no Brasil protege o autor e sua obra, qualifica o que seja um e o outro e refina questões como co-autoria, cessão de direitos, re-publicação, domínio público, registro de obras e mais.

O Direito Autoral Patrimonial da obra pode ser vendido definitivamente, doado ou negociado em seu uso por prazo determinado desde que isso seja expresso claramente em contrato ou acertado pelas partes diante de testemunhas. O Direito Patrimonial é o direito de arrecadar somas a partir da obra. Diferente disto, o Direito Autoral Moral é intransferível, o autor sempre terá assegurado o direito de fazer saber que ele foi o criador daquela obra. Um pintor poderá vender seus quadros a quaisquer pessoas, mas o direito moral de ter sido ele o criador não pode ser mudado, senão por subterfúgios imorais.

(Art. 50. A cessão total ou parcial dos direitos de autor, que se fará sempre por escrito, presume-se onerosa.)

Estão protegidas por Lei as produções intelectuais do campo das letras, artes e ciências, palpáveis impressas, publicadas de modo impresso ou via web. Não estão protegidas por lei as idéias não materializadas, ou seja, você pensou numa saga que narra a guerra entre Anjos e Demônios jovens com jeitão de roqueiros... Enquanto essa obra não for escrita e publicada, ela não terá proteção da Lei. A simples idéia abstrata não é protegida pela Lei, qualquer um pode ter idéia, mas vai ser resguardada apenas a pessoa que materializar essa idéia. Nomes e títulos isolados não são protegidos, isto é bem lógico. Imagine alguém registrando o título “A Casa”. Todas as obras que coincidissem em título estariam sujeitas a processo judicial. Ridículo. A regra é clara.

(Art. 7º São obras intelectuais protegidas as criações do espírito, expressas por qualquer meio ou fixadas em qualquer suporte, tangível ou intangível, conhecido ou que se invente no futuro, tais como: I - os textos de obras literárias, artísticas ou científicas; ...)

A pergunta mais frequente que os artistas fazem sobre Direito Autoral é: “Como registro minha obra?” A Biblioteca Nacional no Rio de Janeiro faz registro de obras, mas de acordo com a Lei brasileira o artista que publique sua obra já tem esse direito assegurado, desde que sua autoria seja claramente expressa e que essa publicação venha a publico. Outro detalhe: o autor estará protegido mesmo que use abreviação de seu nome ou pseudônimo, por exemplo: Alex Lei, JB Junior, Falex, Gian Danton, Mino.


(Art. 18. A proteção aos direitos de que trata esta Lei independe de registro.)

Os direitos patrimoniais da obra pertencem ao autor (e em seguida sua família) por até 70 contados à partir de 1º de janeiro após seu falecimento. Para fins de estudo, crítica ou reportagem trechos da obra podem ser reproduzidas e não constituem ofensa ao direito do autor. Um livro de Português que faz uma análise de um poema ou um livro acadêmico que trás a título de ilustração painéis de uma história em quadrinhos não são passíveis de ação judicial (veja o Art.46 para detalhes.). São permitidas paráfrases e paródias das obras desde que não impliquem descrédito.

Normalmente a Lei assegura e difusão, divulgação ou exibição restrita quando não há intuito de lucro na reprodução da obra. Outras coisas interessantes a saber: Obra originária é aquela primeira criada e manifestada em ordem primária, por exemplo, o livro Iracema, de José de Alencar. Um filme que adapta o livro implica consentimento e contrato à partir do autor ou detentor dos direitos, exceto no caso de obras de domínio público. A edição, tradução para outro idioma, transposição para outras mídias também implicam autorização prévia do autor. Obra derivada é considerada aquela de construção intelectual nova realizada à partir da obra de origem primária.

A Lei do Direito Autoral brasileira pode não ser perfeita, mas existe para ordenar os processos, conhecê-la pode facilitar o trabalho de um profissional da área criativa evitando complicações enquanto assegura proteção a sua produção. Este artigo foi produzido para estimular o conhecimento e a difusão de aspectos práticos no trato com a elaboração e execução de obras criativas, para mais detalhes segue abaixo o link para a íntegra da Lei 9610 que rege o Direito Autoral no Brasil.

Veja AQUI a Lei Completa.
Neste LINK vc baixa formulários e tabelas para adquirir o Registro de Averbação (Registro de Personagem, Roteiro, Livro etc).
Lei Brasileira que rege Marcas e Patentes LINK.
Entenda a Lei das Patentes LINK.
Como cadastrar o ISBN (International Standard Book Number) de sua obra? LINK
Como a Disney protege o MICKEY LINK.
Licença de Produção Independente no Japão — clique aqui.
Cultura Livre (Lawrence Lessic) PDF online
Domínio Público na Wikipedia (Clique)
Criative Commons BR (em português)

Podcast HQ sem Roteiro (apresentação Pedro Brandão) Bate papo sobre Direito Autoral com Fernando Lima & JJ Marreiro gravado ao vivo no evento Mercado dos Quadrinhos (Fortaleza-CE): Clique e escute o podcast.


http://laboratorioespacial.blogspot.com.br/2014/08/beto-foguete-e-os-patrulheiros-do.html

 

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Desastres Divertidos ?


Desastre: acidente funesto, grande revés, sinistro, desgraça. Esta temática por mais bizarra, densa e amedrontadora que pareça constitui um dos mais populares gêneros cinematográficos. O Cinema Catástrofe leva o público a vivencias assustadoras. As cenas destas produções, realizadas com auxílio dos efeitos especiais, tem se aprimorado com a evolução tecnológica deixando os resultados cada vez mais convincentes, promovendo por meio da verossimilhança uma maior imersão do público.
O fascínio do homem diante da Tragédia é antigo, o teatro grego já explorava a desgraça e a ruína humana, e há de se notar que no cinema catástrofe enquanto ocorre um fenômeno assustador de épicas proporções, ocorre também a ruína do caráter humano, pois alguns personagens sempre colaboram (por ganancia, incompetência ou omissão) para ampliar consideravelmente a proporção do desastre…ou opõem-se a isto mostrando nobreza e altruísmo.

 
Mas será que apenas o desastre em si, sua magnitude e o vislumbre de suas consequências geológicas, físicas e materiais fundamentam o interesse no tema? Vejamos. Empatia é a capacidade humana de se identificar com o sentimento do outro, através da arte o homem partilha experiencias e vivencias que acabam por colaborar para sua formação cultural e social, assim pode-se pensar que o tema catástrofe além de instigar a curiosidade propõe uma sensibilização da audiência. Eventos desastrosos oferecem uma oportunidade de explorar o homem em contato com seus limites, o limite do medo, da coragem, promovendo revelações mudanças bruscas, surtos e uma gama de sensações e sentimentos desconcertantes ou inspiradores. Situações limite são terreno fértil para surgimento do drama, de sentimentos contrastantes, de dubiedade, de vilões e heróis, o melhor e o pior de cada pessoa com ou sem dicotomias. Por mais que os “Desastres” no Cinema Catástrofe ou na literatura, apresentem uma certa morbidez, há de se lembrar que a obra de ficção se propõe ao entretenimento ou a reflexão. A grande maioria dos diretores de filmes e escritores que abordam o assunto  o fazem por um prisma ético e muitas vezes em tom de alerta, o que de certa forma alivia a tensão que paira sobre essas produções.


Super-heróis são personagens que extrapolam o conceito do simples heroísmo daí o cenário de catástrofe se tornar um ambiente ideal para sua atuação. Os super-heróis tem chegado ao cinema com algumas pinceladas de cinema catástrofe, desde o Superman de Richard Donner combatendo avalanches e explosões nucleares. Eventos grandiosos marcam os super-heróis, afinal eles precisam de um motivo para serem qualificados como super. E seus vilões precisam encarnar todo o peso e responsabilidade de criar desafios em escala global, provocando pânico, destruição em massa, cataclismos e colocando o espectador e o herói em situações limite, porque é no confronto com seu limite que o herói revela o melhor de si.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Fora de Órbita 05: O episódio em que eles falaram numa convenção de quadrinhos

Neste ano de 2012, Fortaleza teve um fim de semana de janeiro cheio de quadrinhos. No meio de tantos eventos Fernando Lima e JJ Marreiro fizeram um bate-papo no clima do Fora de Órbita e acabou virando o episórdio que você confere aqui. Agradecimentos especiais a toda a turma da Fortal Comiccon, Alex Lei, Walter Geovani e a turma de Limoeiro.

Vai para o Ar mais um campeão de audiencia:


AVENTIRAS: Ficção, Aventura, Terror e mais no Armagem.com



Até o início dos anos de 1980 as tiras de jornal no Brasil traziam uma boa diversidade de gêneros e títulos. Embora boa parte fosse originária dos sindycates norte-americanos era possível acompanhar no jornal tiras de aventura, heróis, investigação ou histórias de época (como o Príncipe Valente). As opções iam muito além das tiras de humor. Hoje com os jornais eliminando o espaço dos quadrinhos e trocando-os por fofocas de artistas ou anúncios as poucas tiras que sobrevivem nos jornais brasileiros estão restritas ao humor.


Graças a democracia da informação promovida pelos meios digitais algumas iniciativas resgatam as tiras seriadas com outros temas indo além do humor. A série Exploradores do Desconhecido criada por Gian Danton e Jean Okada (cujo tema é Ficção Científica) começou na web com o formato de tiras e saltou para o meio impresso ganhando espaço na revista Space Opera, editada por Leonardo Santana.



No site Armagem.com há um espaço criado justamente para este tipo de proposta...Aventuras serializadas em tiras, o título AVENTIRAS faz um jogo de letras e se propõe a isto, ir além das tiras de humor. Ficção Científica, Terror, Realidades Fantásticas, Fantasia Medieval, tudo isso terá lugar neste espaço que merece uma conferida cuidadosa. E enquanto os artistas exploram temas e possibilidades os leitores acompanham histórias que podem originar novos personagens ou até versões impressas com toda pompa e circunstancia que merecem as melhores histórias.

Links:

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Eddy Barrows em Fortaleza!

EddyBarrows_em_Fortaleza_594

Em Março estará na cidade um dos artistas mais badalados dos Quadrinhos, o brasileiro Eddy Barrows, também conhecido como Eduardo Barros. Na agenda do artista estão palestras e workshops. A única apresentação do artista aberta ao público com entrada franca será na Gibiteca de Fortaleza.

Site Oficial do Eddy Barrows
Eddy Barrows Fotolog
Biografia no Bigorna

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

HQ & Cia entrevista Marcelo Campos

O programa 'HQ & Cia' traz entrevistas com os principais nomes do mercado nacional de quadrinhos, artistas, agentes e editores. A apresentação dinamica e feita por quem entende e gosta do assunto. Vale a pena acompanhar.

Marcelo Campos from Cesar Freitas on Vimeo.



Uma lista com os programas já exibidos vc acha neste link.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Fora de Órbita 04 - O episódio Pró-Alien

O Laboratório Espacial é um ambiente de testes e experimentos em diversas áreas do entretenimento. O que você encontra aqui na nossa área de testes pode ter uma qualidade bacana, ou pode ser um lixo total como esse de hoje, mas de todo modo nem sempre é o que de espera:) Estamos sempre revirando as coisas de cabeça pra baixo à procura de novas soluções. Algo como "construir um computador com barro fofo e terra molhada"... Se sacou a referencia sinta-se em casa, se não sacou veja Star Trek - A série Original, ok? :) E vamos seguindo...

Está difícil encontrar um lugar sossegado no espaço para encontrar os amigos, principalmente depois da confusão com os clones. Fernando Lima (criador do Fantasma Escarlate) e JJ Marreiro (criador da Mulher-Estupenda) resolvem visitar outras paragens na nave emprestada por um amigo. Acompanhe agora um episódio totalmente Pró-Alien.