sexta-feira, 22 de julho de 2016

FÁBULAS MODERNAS: Aprenda em Mundos Fantásticos (por Ricardo Quartim)


Todas as fábulas, assim como os contos de fadas, sempre tiveram um fundo moral. Já surgidas em forma de provérbios sumérios 1.500 a.c.  e posteriormente passadas de boca a boca pelas pessoas a beira de uma fogueira enquanto as mulheres teciam e os homens quebravam nozes (vem aí a expressão "tecer um história"), no inicio elas eram bem diferentes. Com extrema violência, sangue e até mesmo detalhes sórdidos e sexuais ela foram popularizadas e amenizadas no século VI a.c. quando o grego Esopo , considerado o pai das fábulas, passou a transcreve-las e cria-las de forma literária. Sucedido por outros escritores entre o mais conhecido deles La Fontaine e no Brasil Monteiro Lobato que não apenas traduziu fábulas e contos de fadas consagrados como também criou através de suas histórias, mesmo que em forma de romance, verdadeiras fábulas.



Nas fábulas, os animais adquirem características antropomórficas, ou seja, características humanas como fala, reações, sentimentos etc. E desta forma fazem um paralelo com o mundo humano sempre com um final educativo de fundo moral. Apesar de serem dirigidas ao público infantil, elas tem muito a ensinar aos adultos. Lições como persistência, determinação, educação, ética, coragem, fé e até mesmo amor ao próximo dentre outras estão sempre presentes nessas narrativas e são muito importantes para o nosso cotidiano.

As fábulas educam e preparam crianças e adultos. Além de ajudar também na criatividade.
E assim como Lobato,  Cosciny e Uderzo nas histórias de Asterix e muitos outros, essas obras provam que é possível ser didático sem ser chato. E é é com esse objetivo que os autores Cordeiro de SáAguinaldo Lazarini e Yuri Andrey criaram seus mundos fantásticos e suas histórias incríveis! Para ensinar a criatividade a todas as pessoas, pois segundo Cordeiro ela pode ser ensinada. E para despertar nas crianças e adultos os cuidados com o meio ambiente através das aventuras criadas por Lazarini e Andrey


Conheça esses contadores de fábulas modernas e ajude a financiar seus projetos!



A EMA E O SONHO
Por Cordeiro de Sá: texto e ilustrações

Apesar de ser aparentemente um livro infantil A Ema e o Sonho é voltado para todas as faixas etárias. A ideia nasceu das reflexões que o autor, Cordeiro de Sá, fez ao longo de sua experiência profissional, tanto como artista visual quanto como professor universitário nas áreas de criação e criatividade e também como educador social. 

Cordeiro reuniu vários conceitos complexos de criatividade reunindo-os em uma fábula de forma simples e didática. Tornando esse conhecimento acessível para pessoas de todas as idades de forma lúdica e agradável para que pudessem utiliza-lo, fazer uma reflexão pessoal e expandir a criatividade em suas vidas. Desta forma Cordeiro mostra que a criatividade pode ser ensinada e estimulada para todos.




Através da história de uma Ema que ao nascer vê uma borboleta e tem o sonho de voar, A Ema e o Sonho é uma fábula sobre superação. Por meio de  de personagens que simbolizam a arrogância, o medo, o bullying dentre outros, a personagem principal mostra como enfrentar todos os bloqueios de criatividade.

A obra também tem por objetivo o trabalho pedagógico com inúmeros recursos que o autor propõe.

Cordeiro de Sá é jornalista, Mestre em Arquitetura e Urbanismo pela EESC USP, já foi premiado como ilustrador, quadrinista, animador, roteirista, bonequeiro, gestor social e três de suas obras já foram indicadas ao Troféu HQ Mix.


O livro terá formato 210 x 210mm, 20 páginas coloridas e poderá ser financiado até o dia 04 de setembro deste ano através do site de financiamento coletivo Eco do Bem 


Para contribuir, conhecer mais sobre a obra bem como sobre as recompensas acesse: 


http://www.ecodobem.com.br



Equipe
Ana Marcia Zago - designer
Ricardo Young - texto introdutório
Adriana Silva – texto de apresentação


Livro da Eco – editora




AVENTURA NA AMAZÔNIA - VIGILANTES AMBIENTAIS 
por Aguinaldo Lazarini: arte e Yuri Andrey: roteiro

Os Vigilantes Ambientais do título  são um grupo de crianças protegem a mata e seus habitantes, tanto os animais quanto os índios. Eles são liderados pelo espírito da natureza representado por um lobo guará, defensor de todas as florestas, que tem poderes de teletransportar a ele e aos meninos. Esse lobo surge na mente e na alma das crianças e os escolhe pelo seus  corações e em relação aos cuidados que eles tem com a natureza.

O álbum é em formato de histórias em quadrinhos. Na trama recheada de aventura, suspense e até mesmo terror, eles irão enfrentar um arqui inimigo que é o grande vilão da história: O super vilão do  desmatamento que é um lenhador maluco e sua gangue do mal. Ao longo da história, serão abordados temas como o aquecimento global, o desmatamento e as condições atuais da Amazônia enquanto os personagens transitam por tribos desconhecidas, cidades perdidas e ouros lugares fantásticos. No final os Vigilantes darão dicas sobre ecologia e desmatamento.

Uma ideia interessante é que caso seja atingida a meta será enviado um exemplar de capa dura para cada biblioteca de uma das capitais do Brasil totalizando 27 exemplares. Essa iniciativa tem por objetivo apoiar os jovens e crianças na questão da alfabetização e também demonstrar que quadrinhos podem ser  um instrumento útil e instrutivo.


O álbum será em formato europeu, 80 páginas coloridas, capa cartonada. Caso a meta seja atingida 500 exemplares serão em capa dura e 500 em capa cartonada. O projeto poderá ser financiado até o dia 04 de setembro deste ano através do Catarse.




Para contribuir, obter mais informações e saber sobre as recompensas acesse: 


https://www.catarse.me








4 comentários: