segunda-feira, 5 de junho de 2017

Uma breve história de Quadrinhos & Velho Oeste


Um dos gêneros mais empolgantes das Histórias em Quadrinhos, o Western, começou nas narrativas dos folhetins e, de certo modo, nos relatos jornalísticos que vez por outra reinterpretavam com mais drama as situações reais. Aliás, desde sempre as narrativas de Faroeste tendem ao exagero, prova disto é que nos tempos do Velho Oeste o tifo, as quedas de cavalo e o ataque de animais selvagens matavam muito mais que os tiroteios e duelos, estes sim, bem raros.

O período que chamamos de Velho Oeste é historicamente localizado na faixa do território norte-americano que vai do Vale do Mississippi à Costa do Pacífico entre os anos de 1840 a 1890 (mais ou menos). Esse período foi marcado pela expansão da fronteira norte-americana na direção do pacífico, nesse contexto ocorreram confrontos com os índios, ou melhor, o quase total extermínio da população e da cultura nativa norte-americana.

Os quadrinhos e o cinema inicialmente focavam as narrativas no ponto de vista do colono, do cowboy que era o herói aventureiro desbravador, embora em alguns momentos personagens índios assumissem o protagonismo. Uma visão mais humanizada do índio começaria a ganhar território no final dos anos 60, por conta das lutas pelos direitos civis, da ebulição dos movimentos sociais, do desenvolvimento da contra-cultura, movimento hippie etc. Do mesmo modo que os movimentos sociais influenciaram o cinema, eles influenciaram os quadrinhos. Enquanto no cinema a audiência era apresentada a outro olhar sobre os cowboys e índios, o mesmo ocorreu com os quadrinhos.

Dos folhetins (dos anos de 1860), os cowboys saltaram para as pulp magazines nos anos de 1900 adiante. Chegaram aos quadrinhos nas tiras de jornal e proliferaram em revistas (comic books) principalmente nos anos de 1950.

Algumas notórias Figuras Históricas, que já haviam protagonizado contos aventurescos, romances e serials (seriados de matinês) marcaram presença nos quadrinhos, entre eles: Bat Masterson, Billy The Kid, Buffalo Bill, Jesse James, Wyatt Earp, Wild Bill Hickock.

Hoje, com um certo distanciamento histórico, é possível ousar a categorização de alguns "sub-gêneros" das HQs de Faroeste, como os Heróis Mascarados do Velho Oeste: Black Diamond, Black Rider, Cavaleiro Negro, Durango Kid, El Coyote, Ghost Rider, Rapaz do Arizona, Lone Ranger, Lone Rider, Masked Rider, Phantom Ranger, Red Mask, Vigilante e outros;

Há os Cowboys Brazucas: Beto Carrero (cujas HQs eram de Eugênio Colonese), Jerônimo-O Herói do Sertão (que teve várias edições desenhadas por Edmundo Rodrigues), Chet (Personagem criado por encomenda seguindo a linha do Tex italiano, tanto que seu nome é Tex invertido. Trocando apenas o X por CH).

Títulos com Cowgirls: Annie Oakley (que também é uma figura histórica do Oeste), Reno Browne, Dale Evans, Firehair e além de títulos próprios as heroínas do western apareciam em títulos mix.











O cinema que tinha como ícone do western o indefectível Tom Mix ganhou novos ídolos e heróis nas matinês: Hoppalong Cassidy, Johnn Mack Brown, Red Ryder, Rocky Lane, Rex Allen, Buck Jones e muitos, muitos, muitos outros meeeesmo.



Com o aprimoramento de som e imagem nos filmes surgiram os Cowboys Cantores: Tex Ritter, Bob Tumbleweed, Gene Autry, Roy Roggers.


A TV começou a se popularizar e sua programação era repleta de cowboys, a princípio com reprises de filmes e matinês. Algum tempo depois dezenas de westerns foram criados especificamente para a TV. Os Seriados de Western proliferaram: O Homem do Rifle, Paladino do Oeste, Cavaleiro Solitário, Rawhide, Bonanza, High Chaparral, Laramie, Gunsmoke, Cheyenne, The Life and Legend of Wyatt Earp, Lawman e outros.


As construções narrativas do gênero Western devem muito à figura de William Frederick Cody, o Buffalo Bill. A medida que o Oeste Selvagem ia se tornando civilizado  Will Cody foi desenvolvendo aos poucos um espetáculo que manteria o espírito dos desbravadores, suas lutas e desafios vivos até hoje. Reunindo cowboys e índios (de verdade) ele criou um circo itinerante que aliado aos folhetins (Dime Novels) notabilizaram os duelos nos saloons, os massacres indígenas, as brigas com a cavalaria, tudo devidamente teatralizado e tudo preparado para encantar e influenciar os espectadores e as futuras gerações.

A Arte Sequencial, assim como qualquer outra mídia, guarda uma sintonia com sua época. à partir do final dos anos 60 com o declínio da popularidade dos cowboys norte-americanos, filmes e quadrinhos de faroeste ganharam novo vigor na Europa, dando passagem a personagens memoráveis como Tex Willer, Ken Parker, Ten. Blueberry entre outros. Nos dias de hoje os videogames Red Dead Redemption e Call of Juarez se encarregam de apresentar o Oeste Selvagem para as novas gerações e embora o gênero não esteja mais em evidência suas influencias não param de ser percebidas em criações de diversos outros gêneros e mídias.

*Críticas, sugestões, informações adicionais e links nos comentários.










Mais:
Avantecast (podcast) Quadrinhos de Bang-Bang

(apresentado por PJ Brandão com participação de
Daniel Brandão e JJ Marreiro)


Mundo Estranho: Como era a vida no Velho Oeste
Tex Willer Blog
Sou fã do Tex

Evolução Territorial dos Estados Unidos
Westward Expansion and Manifest Destiny
Top 12 Classic Guns of Western
These 5 guns won the american west
Old West Guns
4 legendary Guns

The Western Dime Novel 
Buffalo Bill Dime Library 
Ghost Dance
Billy The Kid na revista inglesa SUN

As Eras Cinematográficas do Western 
Subgêneros do Western ( e o Western Revisionista)
Serials List
Lista dos Cowboys Famosos dos Seriados e Filmes

Western: Origem e Mito
O Verdadeiro Velho Oeste
10 Fatos para entender o Velho Oeste 
A Vida no Velho Oeste
Os Duelos do Velho Oeste 
Cinema Western  
Era uma vez o Western (Origem)
Os Implacáveis Quadrinhos de Faroeste (Universohq )
Anthony Stephen
http://laboratorioespacial.blogspot.com.br/2015/08/

6 comentários:

  1. Obrigado pela citação ao Billy the Kid, fiz algumas postagens sobre western no Quadripop também
    http://quadripop.blogspot.com/2016/10/the-cisco-kid.html
    http://quadripop.blogspot.com/2014/09/os-quadrinhos-do-zorro-no-brasil.html
    http://quadripop.blogspot.com/2016/09/lone-ranger-o-cavaleiro-solitario.html

    Além de comentar na última edição do QI sobre os vários "Zorros" pelo mundo
    http://marcadefantasia.com/camaradas/qi/qi141-150/qi144/qi144.pdf

    Esse links são bem úteis
    http://www.gibiraro.com.br/curiosidades_texto.asp?id=14
    http://www.historiasdecinema.com/2011/11/western-fantasia-ou-historia/
    https://oglobo.globo.com/cultura/filmes/faroeste-volta-tona-com-refilmagens-classicos-inspira-sagas-fantasticas-ate-serie-de-zumbi-20176192

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário e pelos valiosos links, Quiof.

    ResponderExcluir
  3. Mais links
    http://tvmemory.blogspot.com.br/2017/06/ringo-marlow-noticias-populares-1967.html

    http://revistagloborural.globo.com/Noticias/noticia/2015/03/14-filmes-inesqueciveis-para-os-fas-de-faroeste.htm

    Falando nisso, o Primaggio lançou mais uma revista de western
    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1799492526744283&set=a.160227127337506.42775.100000506608059&type=3&theater

    ResponderExcluir
  4. Mais Billy the Kid
    https://multiplozine.blogspot.com.br/2017/04/revista-billy-kid-outras-historias.html

    ResponderExcluir
  5. Isso sim é uma matéria sobre um gênero da Nona Arte.
    Meus parabéns aos envolvidos.

    ResponderExcluir
  6. Você precisa recuperar o texto sobre cangaço publicado no Armagem

    ResponderExcluir