segunda-feira, 12 de março de 2012

MOEBIUS - O Ciclo enigmático de uma arte que tende ao Infinito...



Foi noticiado neste 10 de março de 2012, o passamento do artista Jean Giraud, o cartunista francês conhecido no mundo todo como Moebius.

Jean Giraud começou na faculdade de artes e ganhou o mundo com suas ilustrações, quadros, arte sequencial, animações e desenho de produção para filmes como Segredo do Abismo, Duna, Mestres do Universo, Tron, Alien e Quinto Elemento. Numa estrada intensa repleta de criatividade e experimentalismo Jean Giraoud provocou, instigou e inspirou como poucos. Suas pranchas da série Incal, seu trabalho pioneiro na Metal Hurland e suas narrativas de faroeste com o Tenente Bluebarry encantam hoje como encantaram em sua estréia. Poucos artistas tem esse poder de serem geniais transcendendo seu próprio tempo.



Dono de um traço seguro, cheio de tridimensionalidade, Giraud integrava uma elite de quadrinistas que não economizava cenários, nem detalhes. Sua representação de ambientes e figurinos era complexa, refinada e tão leve ou densa quanto exigisse a trama. Ficção científica, fantasia e western foram gêneros que o consagraram.  Poucos artistas conseguiram, tão bem quanto ele, representar ou sintetizar o quadrinho europeu e seu pensamento ao explorar o homem em sua fragilidade e pequenez diante do gigantismo do mundo a seu redor. Os cenários de suas narrativas eram grandiloquentes, magnanimos, vastos, seus enquadramentos davam vazão a horizontes infindáveis deixando o leitor a se indagar "como Moebius consegue desenhar um mundo tão imenso num painel tão pequeno?".




O pseudônimo "Moebius" era homenagem a um matémático alemão do século 19, August Ferdinand Möbius e a seu objeto de estudo mais famoso a fita de Möbius, um objeto que possuía apenas uma borda e apenas um lado, mas propunha um movimento contínuo, complexo, propenso a suscitar reflexão tanto nos bobos quanto nos gênios. Assim era Giraud, um enigma, uma proposta de inexistencia dentro da existencia.

Se foram limitados seus dias materiais sobre o planeta, seu trabalho, sua energia e sua inteligência continuarão sendo -  sem limites  -  uma grande força impulsionadora enquanto seu traço continuar a encantar, influenciar, inquietar e estimular leitores e artistas nos dias que vierem.

O Homem passa, sua arte fica.
Notícia e perfil no Universo HQ
Notícia da BBC Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário